domingo, 24 de julho de 2011

Não quero festa mesmo

Há quase um ano atrás nasce minha filha, Julia Valentina. Hoje ela tem pouco mais de onze meses, claro. Está andando, comendo de (quase) tudo, apontando, falando mamãe, querendo mamar (sim, ela AINDA -?- mama).
Acredito que estou na melhor época da minha vida, possuo um motivo para viver e tenho a oportunidade que poucas pessoas, concluir a faculdade e trabalhar, e agradeço a Deus por isso.
Quando saio na rua com a minha filha fico tão orgulhosa. Sou mãe, sou além de tudo mãe e isso é maravilhoso. Há tão pouco tempo consegui este título, então por que não comemorar?
Sim, comemorar a maternidade. Um ano de maternidade. Também comemorar um ano do nascimento de minha filha, mas convenhamos o primeiro ano é para nós, porque os bebês, tadinhos, mal sabem o que está acontecendo, isso quando não querem dormir e aquele tanto de gente fica pegando neles e dando beijos e abraços e parabéns.
- Parabéns? Parabéns pelo quê?
Bom, na verdade acredito que nossos filhos entendam que aquele dia está sendo comemorado, algo muito bom está acontecendo e pode até entenderem que é seu aniversário, mas convenhamos o que nossos filhos mais querem é ficar conosco, de preferencia dormindo e mamando!
Pois bem, por conta de tudo isso conclui: não farei a festa de aniversário de um ano da JV. Para quê?
Mas mudei de idéia. Mudei, assim, em cima da hora, mas quero fazê-la. Quero fazê-la porque quero olhar para trás e pensar que tive a oportunidade de comemorar o primeiro ano de vida da minha filha, o primeiro ano de mãe, o nosso primeiro ano. O ano em que há maiores conquista e descobertas e que se aprende a virar, arrastar, engatinhar, andar, mamar, comer. O ano de maiores mudanças e que comemorei como boba cada uma delas. Inclusive ontem, quando a Julia realmente andou pela primeira vez (e não parou mais).
Então sim, vou fazer, vou gastar pouco, uns R$200,00 eu espero, não será uma festa, mas sim uma comemoração em casa mesmo com as pessoas mais próximas e que mais nos apoiaram e estiveram presentes, mas principalmente presentes na vida da Julia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário