sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

O Papai Noel existe, filho?

Não consigo ficar inquieta em relação a um assunto que vem me acompanhando durante todo o mês de dezembro.
Papai Noel e seu papel social, ou pseudo-social.
Hoje, o que me estimulou a escrever aqui foi uma matéria no site Yahoo! com o seguinte título: O Papai Noel existe, filho!
Resumindo bem o texto, a autora afirma que o natal de seus filhos foi maravilhoso, pois eles acreditam em papai noel, já o dos filhos de sua amiga foi horrível e triste, simplesmente porque eles não acreditam em papai noel.
Sem contar os argumentos sem qualquer fundamento respaldado em que ela afirma que todos, digo todos, unanimidade entre os psicólogos que a figura do Papai Noel é Fundamental para as crianças, sendo ainda mais específica e o que me deixou mais encabulada: Além do Natal, segundo a autora, ser um fracasso porque não existe Papai Noel, este mesmo velhinho é o sinônimo da formação familiar e cultural, e é ele, segundo a autora, que transforma a criança no ser civilizado."O velhinho barbudo e simpático é o valor da família, da fraternidade e da bondade. "
Me desculpe, mas não consigo concordar.
Há culturas em que se quer Papai Noel é comentado. O sinônimo de Natal definitivamente não é troca de presentes caros, e o "bom velhinho" não pode ser o valor da família.
Crianças que começam a se comportar bem pouco antes do Natal por conta de que querem ganhar o presente do Papai Noel, e pais que só estimulam o bom comportamento em troca de presentes (que serão entregues pelo Papai Noel), estão errados. 
Além disso, vamos ser honestos, quantas e quantas crianças insistem em fingir que acreditam no Papai Noel para continuar ganhando os presentes de Natal. 
Quantas e quantas crianças se sentem tristes e frustradas quando percebem que seus pais mentiram todo o tempo para elas sobre o Papai Noel. 
Se formos pensar ele é uma figura bem egoísta aos pais. 
Depois disso, se esquece o sentido do Natal. Dia 25 de dezembro, dia em que a Virgem Maria, e seu esposo José, após serem avisados pelo Anjo Gabriel de que Maria daria à Luz ao filho de Deus, Jesus, vão até Belém e nasce Jesus Cristo de Nazaré, filho de Deus. Os três Reis Magos oferecem seus presentes e os pastores vão louvar ao Senhor. 
Gente, o Natal é isso. Uma criança não é frustrada por ter o VERDADEIRO espírito natalino. Não é um Natal infeliz pela comemoração ser fundamentada.
Mas, suponhamos também, que a família seja atéia, então o Natal será mais representativo. Será momento de união, de rever o ano, pensar em coisas boas e positivas para o futuro. 
A criança ela deve exercer sua imaginação, é claro, mas ela exerce de diversas maneira que a gente nem imagina. Não será representações como estas que tirarão seu poder de imaginação.
Patati Patatá é uma representação que mexe com a imaginação da criança, a Galinha Pintadinha, Os três porquinhos, o Mickey Mouse e por aí vai. Mas a magia é algo muito além do que nós, adultos, podemos imaginar.